Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Indicadores de desempenho mensais

Publicado: Quarta, 22 de Agosto de 2018, 11h15
Atualizado: Quinta, 18 de Abril de 2019, 19h07

Indicadores Mensais de Segurança Operacional em Instalações de Exploração e Produção

Atualizado em: 18/04/2019

Taxa de Incidentes Comunicáveis

A taxa de incidentes comunicáveis indica a quantidade de incidentes comunicados por milhão de hora trabalhada de instalações de exploração e produção offshore, separada por gravidade dos incidentes. A gravidade é estratificada de acordo com a consequência dos incidentes comunicáveis à ANP, conforme classificação abaixo:           

Grave: acidentes que apresentam consequências maiores à vida humana, ao meio ambiente ou ao patrimônio. Tipicamente, são os eventos de fatalidade (dano à vida) e eventos que geram danos severos à instalação (abalroamento maior, afundamento, incêndio maior, explosão, entre outros) ou ao ambiente. São normalmente eventos apontados como Major Accident Hazards nos estudos de risco das instalações.

Moderado: acidentes que apresentam consequências significantes à vida humana, ao meio ambiente ou ao patrimônio; ou quase acidentes com elevado potencial de causar consequências maiores à vida humana, no meio ambiente ou no patrimônio.

Leve: acidentes de menor consequência à vida humana, ao meio ambiente ou ao patrimônio; ou quase acidentes de baixo/médio potencial de causar consequências maiores à vida humana, ao meio ambiente ou ao patrimônio.

No gráfico abaixo encontra-se a taxa de incidentes comunicáveis por gravidade para os incidentes ocorridos nos últimos doze meses.

 

Como observado, o mês de março apresentou redução de cerca de um ponto na taxa dos incidentes leves em relação a fevereiro. O tipo de incidente leve que lidera em registros é “parada emergencial de planta de processo – ESD” – nível menor e intermediário, diretamente relacionado com o início das operações de novas instalações. Como outro contribuinte temos os incidentes de queda de objeto, sendo este também de gravidade leve, mas que pode constituir-se em alto potencial.

É importante ressaltar que, para a geração das taxas de incidentes, é necessário dispor dos valores de milhões de horas trabalhadas em atividades offshore, informação recebida dos operadores de contratos anualmente. A informação relativa às horas trabalhadas de 2018 foi recentemente obtida, em março de 2019. Os dados de 2019 serão recebidos no próximo ano. Dessa maneira, os valores de horas trabalhadas utilizados na geração das taxas foram estimados até o mês de fevereiro, considerando uma projeção linear com base nos valores relativos a 2016 e 2017.

No mês de março foi possível corrigir os dados de 2018, que a partir de então incorporam o resultado baseado no número real de milhões de horas trabalhadas naquele ano. Portanto, houve uma mudança nas taxas para todo o ano de 2018.

O novo gráfico do número de horas trabalhada de 2018 encontra-se abaixo, sendo fato relevante um aumento do nível da atividade em relação ao histórico dos anos de 2016 e 2017, representando uma alavancagem positiva na questão de horas trabalhadas na indústria de exploração de óleo e gás marítima no Brasil.

 Foi considerado que para cada mês foi despendido 1/12 das horas estimadas para o ano.

 

 

Fim do conteúdo da página
>